A Era do Empreendedorismo, você está preparado para empreender?
7 de fevereiro de 2019
5 tipos de contrato que todo empreendedor precisa conhecer
18 de março de 2019

Quando o desenvolvimento pessoal influencia na carreira empreendedora?

O tempo todo. A resposta é bem fácil e direta.

E é exatamente isso, o que nós achamos e opinamos ou julgamos ao nosso próprio respeito reflete imediatamente nos resultados de absolutamente tudo o que fazemos. Mas então isso não significa que vou cumprir todas as metas que tracei e consequentemente chegar ao meu objetivo e depois dobrá-las, certo?

 

Veja bem, vamos conversar.

Com certeza, você já passou por uma situação na qual tinha conhecimento absoluto na técnica e teoria. Porém, durante o processo de transferir todo esse tal conhecimento para a prática, a receita desandou. Fazer um bolo é relativamente fácil. É só dar um Google e pronto, já está pronto pra fazer.

 

 

Neste momento começa o plano: pesquiso, analiso, penso se é isso mesmo que quero. E decido que anseio mesmo fazer um bolo. Me desloco até supermercado (comecei a executar meu plano), compro todos os ingredientes e até itens a mais, vai que falta, né? Ok, agora vamos botar literalmente a mão na massa com a intenção de comer o melhor bolo de chocolate que já comi na vida. Faço tudo corretamente, com as mesmas medidas que tem na receita do Google e coloco no formo à 150ºC já pré-aquecido, assim como manda a receita. Espero ansiosamente 30 minutos, abro o forno e me deparo com uma camada firme e empedrada.

A primeira reação: Que raiva! Mas o que eu fiz de errado? Dificilmente chega-se numa resposta sozinho. Porque você realmente seguiu à risca todo o processo e não comeu o melhor bolo de chocolate da sua vida. Então se depara com a sua própria decisão: “Eu não sei fazer o melhor bolo e então eu desisto de fazê-lo”. E você definitivamente crê nisso. Crendo que você não é capaz mais de fazer esse bolo.

 

No dia seguinte,  decide que quer montar seu próprio negócio. Então começa tudo novamente. Consulta o fiel e escudeiro Google afim de achar dicas, ou o passo a passo para criar uma empresa lucrativa ou construir sua própria startup. Achou. Após diversas pesquisas, cria-se  um simples Plano de Negócios ou um Business Canvas e decide que agora é a hora de empreender. E outra vez, os resultados são negativos. E resultados serem negativos significa perder investimento financeiro, energia e ganhar mais uma crença: “Eu não sei fazer isso”.

 

O que queremos dizer com tudo isso, na prática, é que em um universo infinito de opções há a possibilidade de optar por aquela que não faça parte da nossa própria natureza. E cada vez que acertamos o alvo errado, inconscientemente, uma nova crença se instala em nosso cérebro e muitas das vezes acaba por limitar nosso potencial. Portanto, o desenvolvimento pessoal é indispensável para que possamos conhecer mais intimamente a nossa própria natureza empreendedora como nossas habilidades, competências e comportamento frente às situações do dia-a-dia são mais assertivas.

 

Nesse processo é importante que você volte pra dentro de si mesmo e busque o know-how que já é seu. Você já tem o que precisa, o fator decisivo para acessar as suas habilidades é de escolha absolutamente sua:

Foco em meu tempo para melhor meu Desenvolvimento Pessoal ou não?

Vamos melhorar essa colocação. A boa notícia é que já inventamos a roda, porém, ela está meio quadrada. Entendeu? Mas o que vem após o desenvolvimento pessoal que tanto falamos? Primeiro devemos dizer que o desenvolvimento pessoal é uma evolução constante, ou seja, não é como tomar antibiótico por sete dias e pronto. A partir do momento que decidimos fazê-lo, o faremos todo dia. Contudo, ao caminhar por esse processo, progressivamente ganhamos uma característica chamada Feeling. Isso não é teoria, não se explica em nenhum curso, é mesmo uma questão mais subjetiva. E é algo que age subjetivamente também. Pode escolher chamar de intuição ou até 6º sentido. Mas funciona.

 

O feeling nos faz acordar um dia e querer abrir uma rede de fastfood vegano, por exemplo, porque sabemos que será um sucesso. E faz as decisões não parecerem decisões e sim, a escolha entre “qual cor você gosta mais?” Azul ou amarelo. E você escolhe azul porque é da sua natureza. É seu feeling. Assim, nos tornamos os espelhos das nossas próprias decisões. Pois faz parte da natureza humana agir de acordo com suas atitudes mentais, sorte sua, se estiver dentro desse processo de ser um empreendedor. Pois tudo o que fazemos é culpa nossa. A culpa deve sempre ser nossa. Se eu não comi o melhor bolo de chocolate do mundo a culpa é minha. Ou, se eu criei uma empresa, fali e perdi o investimento a culpa é minha também.

 

Por todos esses motivos, uma das características essenciais para alimentar o caráter empreendedor e, melhor, ser um empreendedor que coleciona uma estante de sucessos é o desenvolvimento pessoal já que esse fator influencia em absolutamente em todas as áreas da vida. E é ele quem nos destina às nossas culpas. E imaginamos nós que queiramos ser culpados pelos nossos cases de sucesso, não? E quando queremos, senhores, agimos como crianças despudoradas que não aceitam o plano B.

 

Para essa leitura de hoje, desejamos que se desenvolva e também desperte as características daquela criança empreendedora e cheia de planos que existe dentro de cada um. E, despudoradamente, deixe a criança agir. Dessa forma, seu sucesso empreendedor estará muito bem encaminhado.

 5 dicas para elevar o nível do desenvolvimento pessoal.

1- Reveja seus hábitos. Já foi comprovado que o costume de fazer algo repetidamente e sempre do mesmo jeito, o que chamamos de hábito, é uma das características mais difíceis de mudar no ser humano. E é o hábito de cada um que dita até mesmo às regras de consumo individual. Então isso vale como uma dica dúbia, reveja seus hábitos afim de não obter sempre o mesmo resultado para ações diferentes, e caso você queira inserir alguma forma de produto em determinado grupo, o caminho mais assertivo pode ser através do hábito.

2- Desconfie das suas crenças. Cuidado. Assim como dissemos ao longo da reflexão de hoje, a crença pode limitar a nossa capacidade. E pior, ainda por vezes, acreditamos em crenças de terceiros. Por isso, senhores, desconfiem delas e ainda melhor, desfaçam-nas.

3- Prazos, pra que tê-los? A tendência de postergarmos as coisas que fazemos para nosso próprio benefício é das grandes. Então, para evitar que isso aconteça, estipule prazos para cada meta que você tem que cumprir pra atingir um objetivo que é unicamente seu.

4- Tenha um plano pra sua evolução. Sempre quando começamos um novo projeto, traçamos um plano para este, não é? Desenvolvimento pessoal também é um projeto, então faz-se também necessário termos um plano pra ele. Defina o que e como fará isso. Demanda tempo, foco e as vezes até dói um pouco, logo, um plano é imprescindível.

5- Tenha um bom networking e conte com ele. Aquela coisa de quem ninguém faz nada sozinho, meus caros, se faz verdade. Ter um networking que te traga um rico repertório é de veras de grande utilidade. Afinal, ideias ricas de conhecimento, história e fatos podem se somar ao seu processo de evolução, e ainda melhor, podem evoluir qualquer projeto já que somos capazes de transferir conhecimento para todas as áreas em que atuamos.

 

Você tem desejo de empreender?

Baixe agora mesmo o nosso E-Book Empreenda com Sucesso e descubra como tirar àquela sua ideia do papel e começar um novo negócio!

Comentários

Tiago Rodrigues
Tiago Rodrigues
Tiago Rodrigues é CEO da EconoInvest, especialista em Desenvolvimento Pessoal, Novos Negócios e Investimentos. Administrador, Pós Graduando em Finanças Corporativas & Investment Banking pela FIA - Fundação Instituto de Administração, Especialista em Empreendedorismo pelo INSPER, Professional Coach pela SBCoaching, Especialista em Novos Negócios pela Fundação Getúlio Vargas e pelo SEBRAE SP.

Os comentários estão encerrados.

Baixe agora Ebook Baixe agora Ebook Baixe agora Ebook Baixe agora Ebook