Conheça nosso Código de Ética e Conduta

Ciente de sua responsabilidade como instituição pioneira na formação de coaches no Brasil, a Sociedade Brasileira de Coaching® elaborou o Código de Ética e Conduta do Coach com os seguintes objetivos: 1. Orientar a conduta e as relações profissionais do coach e contribuir para a boa prática do coaching. 2. Informar os clientes quanto aos critérios éticos que eles devem buscar ao contratar um coach. 3. Disseminar e reforçar a confiabilidade, a credibilidade e a aceitação do coaching junto à sociedade e ao público em geral. 4. Estabelecer e unificar as normas referentes ao exercício responsável e digno da profissão

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

1. O coach baseará o seu trabalho no respeito e na promoção da liberdade, da dignidade, da igualdade e da integridade do ser humano, apoiado nos valores que embasam a Declaração Universal dos Direitos Humanos. 2. O coach trabalhará visando promover a qualidade de vida das pessoas e das coletividades, bem como promover melhorias e resultados em empresas, negócios e organizações. 3. O coach atuará com responsabilidade por meio do contínuo aprimoramento profissional, contribuindo para o desenvolvimento do coaching como campo de conhecimento e de prática. 4. O coach entenderá que sua formação e certificação em coaching o capacitam a atuar apenas no atendimento aos clientes de coaching, e não na formação de novos coaches. A atuação competente e eficaz na formação de novos coaches requer outro nível de capacitação, que deve ser obtida por meio de uma instituição idônea. 5. O coach assumirá como seu dever perante o cliente e a sociedade divulgar e cumprir as condutas éticas propostas por este código.

Sessão I - Postura em relação ao Coaching

1. Zelarei pela credibilidade do coaching: a) Por meio da qualidade de meus serviços. b) Por meio de minha conduta ética. c) Recomendando, quando solicitado, apenas profissionais capacitados e confiáveis, certificados por uma instituição idônea. 2. Investirei continuamente em meu aprendizado e desenvolvimento pessoal a fim de oferecer um excelente serviço de coaching. 3. Ficarei atento a questões pessoais que possam afetar negativamente minha atuação como coach e, sempre que necessário, buscarei ajuda profissional para resolvê-las. 4. Jamais utilizarei meus conhecimentos de coach para prejudicar outro ser humano, seja cliente ou não. 5. Reconhecerei o empenho e a dedicação de todos os que desenvolvem materiais, produtos, conteúdos e soluções que contribuam com meu aprendizado. Agirei eticamente, respeitando seus direitos autorais.

Seção II - Prospecção de Clientes e Contrato de Coaching

1. Não utilizarei informações falsas ou enganosas a respeito do coaching ou de mim mesmo, visando com isso conquistar novos clientes. 2. Não prometerei o que não posso cumprir. 3. Não me posicionarei como o único responsável pelos resultados. Deixarei claro que a participação e o comprometimento do cliente são fundamentais para o êxito do processo de coaching. 4. Responderei com toda a honestidade às dúvidas e hesitações do futuro cliente quanto ao funcionamento e aos benefícios do coaching. 5. Explicarei ao cliente as premissas básicas do coaching, firmando, por meio de contrato, as condições de nossa parceria. 6. Reconhecerei o contrato como um dos fundamentos da parceria entre o coach e o coachee e me comprometerei a respeitá-lo. 7. Não atuarei com indivíduos que estejam se submetendo ao coaching contra a vontade, por imposição de terceiros. 8. Não atuarei com indivíduos que não preencham as condições necessárias para receber o coaching.

Seção III - Remuneração

Ao fixar a remuneração por meus serviços de coaching, levarei em conta: a) A justa retribuição aos serviços que prestarei. b) A necessidade de comunicar os valores ao cliente antes do início das sessões e de certificar-me de que ele está ciente e de acordo. c) A necessidade de estipular e de informar ao cliente o número de sessões cobertas pelo valor acordado e sua duração. d) A necessidade de prestar serviços de qualidade, independentemente do valor acordado.

Seção IV - Atitudes e Conduta com o Cliente

• Não utilizarei informações fornecidas por clientes para obter vantagens pessoais nem para conceder vantagens a terceiros. • Incentivarei a autonomia de meus clientes, desencorajando qualquer forma de dependência entre o coachee e o coach. • Respeitarei os limites que devem existir na relação entre o coach e o coachee. Compreenderei que esses limites são essenciais para o bom funcionamento da prática de coaching e, por isso, não manterei relações que não sejam estritamente profissionais com nenhum cliente atual. • Reconhecerei o direito do cliente de receber as melhores e mais confiáveis práticas de coaching. Por isso, não introduzirei em minhas sessões nenhum conceito, método, técnica ou ferramenta que não tenha sido desenvolvido, testado, aprovado e recomendado por uma instituição de coaching idônea. • Assumirei o compromisso de jamais utilizar minha posição como coach para induzir o cliente a realizar quaisquer atos que possam contrariar seus valores e/ou causar danos ao próprio cliente ou a terceiros. • Seguirei a premissa básica de que o coach deve contribuir para fortalecer o poder de decisão e de escolha consciente do cliente, e nunca enfraquecer, diluir ou usurpar esse poder. • Não induzirei o cliente a quaisquer convicções políticas, ideológicas ou religiosas. • Manterei em sigilo absoluto todas as informações fornecidas pelo cliente durante as sessões de coaching. O compromisso de confidencialidade será mantido mesmo após o término do processo de coaching, estendendo-se, também, a ex-clientes. • Todas as anotações que eu fizer durante as sessões de coaching serão destinadas a meu uso exclusivo. Essas anotações não serão divulgadas, compartilhadas ou utilizadas para outro fim que não seja o acompanhamento de minhas sessões de coaching. • Não farei nenhuma gravação em áudio ou vídeo de minhas sessões a menos que seja necessário para bem do processo de coaching. Neste caso, me comprometerei a pedir a autorização do cliente, a manter o material gravado em sigilo e destruí-lo após o término de nosso contrato.

Seção V - Interrupção das Sessões e Finalização do Processo de Coaching

1. Interromperei as sessões de coaching e descontinuarei o processo quando perceber que: a) O coaching não é a intervenção mais adequada para o cliente naquele momento. b) O cliente é disfuncional. c) O cliente está violando reiteradamente os termos do contrato de coaching. d) O cliente não está obtendo resultados com o processo. e) O cliente insiste em manter objetivos antiéticos e/ou nocivos a outras pessoas, mesmo depois de tê-los analisado com o coach. f) Existe conflito de interesses. g) Não me sinto capaz, por motivos pessoais ou por choque de valores, de suspender meu julgamento durante minha atuação com o cliente. h) As exigências e necessidades do cliente estão além de minha capacidade, conhecimento ou disponibilidade.

2. Não prolongarei o número de sessões de coaching de modo a estendê-las além do necessário.

Seção VI - Resultados, Medições e Avaliações

1.Entenderei que as técnicas de medição de resultados do processo de coaching são instrumentos fundamentais para: a) Conscientizar o cliente de seu próprio desenvolvimento e estimular seu progresso contínuo. b) Fornecer ao cliente meios confiáveis para avaliar o retorno de seu investimento. c) Mensurar o valor que está sendo agregado por meus serviços de coaching, o que constitui um passo importante para meu crescimento e consolidação profissionais. d) Validar as metodologias e técnicas do coaching por meio de resultados comprovados e, com isso, fortalecer a credibilidade e a aceitação do coaching. 2. Serei absolutamente honesto nas avaliações de resultados. Assumirei o compromisso de jamais alterar, distorcer ou influenciar as respostas e percepções do cliente quanto aos resultados de minhas sessões de coaching e de minha atuação profissional. 3. Compreenderei que os processos de medição e de avaliação do coaching devem seguir critérios técnicos específicos a fim de assegurar a credibilidade dos resultados. Por isso, usarei somente as técnicas de medição e de avaliação recomendados pela instituição na qual realizei minha formação como coach. 4. Jamais divulgarei resultados ou cases de clientes sem obter deles expressa autorização - por escrito e assinada.

Seção VII - Virtudes e Conduta do Coach

1. Manterei uma conduta ética tanto na vida pessoal quanto na vida profissional, pois entendo que é responsabilidade do coach servir de exemplo e viver na prática os princípios e valores do coaching. 2. Cultivarei as seis virtudes universais que contribuem para gerar níveis sustentáveis de bem-estar, gratificação e significado autênticos em minha vida e na vida dos que me cercam. As seis virtudes, que foram identificadas pela Psicologia Positiva e estão plenamente alinhadas à ética e aos princípios do coaching, são: • Sabedoria É precedida pelo conhecimento e evolui para a compreensão – de si mesmo e dos outros. • Coragem Determinação exercida atentamente na intenção de alcançar objetivos importantes, porém incertos. • Amor e Humanidade Interação social positiva com amigos, conhecidos, familiares e até estranhos. Compreende bondade e generosidade. • Justiça Compreende comprometimento com a coletividade, cidadania, espírito de equipe e imparcialidade. • Moderação Expressão apropriada e sóbria de apetites e desejos. A pessoa moderada não reprime suas vontades, mas espera pela oportunidade de satisfazê-las de modo a não prejudicar a si e aos outros. • Transcendência Estabelecer conexão com algo maior e mais durável: outras pessoas, o futuro, a evolução, o divino ou o universo. As disposições deste Código de Ética e Conduta aplicam-se a todos os nichos e áreas de atuação do coach.

Baixe agora Ebook Baixe agora Ebook Baixe agora Ebook Baixe agora Ebook